Sunday, October 09, 2011

O Tio Renato

De longe ele vinha
E eu esperava
No bolso, sempre muitas balas e doces!
Adentrava pela varanda imensa
Uma altercação intensa
Risadas, correria!
Vê-lo era sempre uma alegria!
Homem velho com mente infantil
Da ruindade alheia, pouco entendia
A pele moura, mui vezes, pálida
Cabelos bem negros, silhueta esquálida
O olhar perdido e meigo
O paletó escuro meio amarrotado
Mas como era esperado!
Na fala meio confusa,
Despejava o que tinha: um grande coração!
Porém um dia, triste dia...
Nunca mais à varanda voltou!
Nunca se soube, nunca se viu...
De lembranças, só o retrato
De nosso tio, chamado Renato.

Thursday, October 06, 2011

Vestibular



' A Vestibulanda' _ Luísa DalArtesa 

Estudar para aprender
Aprender... mas nunca tudo se chega a saber...
O conhecimento é infindo!
Matemático, lógico, é lindo...
Aprendemos para saber,
Para crescer, para viver,
Mas, muito mais,
Para saber conviver...